quinta-feira, 4 de novembro de 2010

musicosociologia 1

Olá olá olá...
Meus caros amigos, como foi o feriadão de vocês?! Bem? Espero que sim!

Então volto nesta quinta feira, depois desse feriadão na praia (trabalhando feito um féla da mãe) para trazer aqui o primeiro post nos moldes à que propõe o blog.


Pois bem como primeiro trabalho eu ia trazer aqui uma musica do Belchior, porém tenho melhores planos para tais, entretanto o cantor que trago agora é tão reflexivo quanto. Considerado o cantor dos trabalhadores industriais, natural  Rodeiro uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, Zé Geraldo traz nas suas musicas a proposta de cantar o cotidiano, apontando elementos culturais, de valor, ética e tudo isso envolvido em um tom romântico e revolucionário, eu diria, pelo modo como nos anos 70 ele colocava essas questões. Com mais de 30 anos de carreira, Zé Geraldo tem 16 discos lançados, fora coletâneas e compactos. 

Pois bem! Então lá vamos nós...                                                                                                                            

                                           Descarrilho - Zé Geraldo


video






Não quero ser sustentador do mundo
Nem o pilar desta sociedade
Só garantir minha sobrevivência
Descer ao fundo desta ansiedade
Subir a tona deste fim de mundo
Buscar um pouco de tranquilidade
Não quero dar o que não poderia
Nem receber o que não deveria
O sinaleiro orientou errado

Errei o trilho e fiquei de lado
Pagar porém um juro assim tão alto
Era uma coisa que eu não merecia
Sou passageiro deste mesmo trem
para um destino tão ignorado
só que o sinaleiro orientou errado
Errei o trilho e fiquei de lado
Pagar porém um juro assim tão alto
Era uma coisa que eu não merecia
Sou passageiro deste mesmo trem
para um destino tão ignorado

      

          Pois bem pessoas, como a letra bem sugere, a musica trata de um fardo subjetivo ao qual o autor tenta nos alertar. logo de inicio ele usa dos valores éticos de nossa sociedade quando fala : "Não quero dar o que não poderia, Nem receber o que não deveria" trabalhando a noção de "justiça", em seguida encara os rumos tomados como que apontados por uma alguém, um alguém figurativo, que no caso seria o sinaleiro, aquele que indicava a direção do trem. E o trem como objeto de alusão à vida em sociedade, caminhando em um rumo, que na situação foi modificada pelo erro de um terceiro.

     Dessa forma encontramos na letra do Zé Geraldo, traços que particularmente lembram a educação dada pela familia ( lembro da minha mãe dizendo que meus amigos não me levariam à lugar nenhum), onde seria a familia a orientadora correta para o educando na ocasião, esquecendo-se de que é necessário, ao educando, o inter-relacionamento com os demais de sua faixa etária, mas isso é assunto pra outro tópico.
      Percebe-se também na musica um tom de incomodo quando ele fala " Pagar porém um juro assim tão alto era uma coisa que eu não merecia, sou passageiro deste mesmo trem", encontra-se ai [creio eu] a critica aos Cordiais [segundo Sergio Buarque de Holanda] onde os homens que tem uma oportunidade de "favores" são privilegiados, mesmo estando todos no mesmo "Trem", ou seja, aos meus amigos Tudo! aos meus inimigos a lei implacável! 


      Bom pessoas, atores, sujeitos, individuos ou como acharem melhor... Por hora é isso... ainda tenho que preparar aula e pra variar estou atrasado rsrs. Então... espero que gostem desse primeiro contato com a "musicosociologia" espero também que sintam-se a vontade pra comentar ou para escrever sobre também... Meu E-mail está no outro tópico o que explica o "POR QUE" deste blog, mas ai vai mais uma vez.. bolamen@gmail.com 

No mais...
Inté quando dé!




Um comentário:

  1. Bravo, Bravo. Uma boa escolha de um ótimo autor pra falar do descaso com os trabalhadores desse país em suas músicas, e desse sistema que apresenta "soluções" fajutas para levar o povo com o fortalecimento dela a casa dia, massacrando cada vez mais a população.


    Boa continuidade em suas analises aqui...
    Mas uma boa música dele também é Cidadão [na verdade, é uma das músicas mais reflexivas que já vi em minha vida, relatando o perfil de um "cidadão" da margens brasileiras].


    Beijos :)

    ResponderExcluir

Deu pra entender? Não? Comenta ai! Se sim! Comenta também!